A mídia populista que todos construímos todos os dias

O que é populismo? É a forma padrão de demonizar governos de esquerda?

Populismo não é fazer o que o povo quer. Fazer o que o povo quer é democracia. Populismo é um pouco diferente disso. É fazer o que o povo quer, mesmo quando o povo não sabe o que quer. Ou mesmo quando o povo quer dar um tiro no próprio pé. O governo deve também saber dizer não pros absurdos. Será que passe livre é realmente viável?

Mas este post não é sobre política. É sobre mídia. Ou melhor, o nosso papel para manter a mídia pobre. Toda ela.

Nossa atitude com a mídia é populista, pois cobramos que a mídia nos agrade e a mídia nos agradar nos prejudica diretamente. Se eu sou de esquerda, escolho uma mídia esquerdista, que dará pouca atenção àquilo que a direita fez certo, ou ao erros da esquerda, que só a direita poderá ver. Quando eu escolho um único tipo de fonte de informação, estou dizendo “me agrade”. Eu escolhi estar certo mesmo que isso signifique estar mais mal informado.

Mas como consumir a mídia que me desagrada? Darei dinheiro pra quem publica mentiras?

Nada é mentira naquilo que é publicado. Uma mídia que mente não dura 1 mês. Manipular com mentiras é para amadores. A manipulação profissional é feita com omissões e editoriais cheios de adjetivos e apelidos maldosos, cheios de subjuntivos (“José teria dito que….”) e fontes duvidosas, como a participação de leitores nas redes sociais.

Anúncios

2 pensamentos sobre “A mídia populista que todos construímos todos os dias

  1. A grande mídia também pode usar mentiras, desde que sustentadas por grandes interesses. Afinal, “uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”, já dizia Goebbels. Difícil saber o que é verdade distorcida, o que é omissão, e o que é mentira de fato, quando estamos só olhando de longe.
    Quanto à democracia, às vezes pode ser bem perigoso deixar “o povo” decidir o que quer. Se “o povo” decidir que quer mandar os gays embora do país, ou mandar os evangélicos pro campo de concentração, ou proibir os espíritas de comer fandangos, simplesmente porque podem, porque são maioria, o que fazer?

    • Tem mentiras fáceis de mentir, e mentiras difíceis de serem mentidas. As que se tornam verdade pela insistência são ou muito sutis ou demandam muito esforço.

      Supondo que ela seja ateia, dizer que a Dilma é religiosa seria uma mentira sutil. Não há como obrigar a Dilma a se submeter a um detector de mentiras e fazer uma série de perguntas sobre o que ela acredita.

      Por outro lado, grandes mentiras dão muito trabalho, e não acredito que no Brasil seja possível mentir descaradamente, pelo menos não o tempo todo. Na Koreia do Norte, a versão oficial para a morte do avô do atual ditador é que quando ele morreu milhares de cegonhas desceram dos céus chorando e o levaram pra algum lugar. Lá é possível contar uma mentira dessas, mas aqui não.

      Mas o que é uma grande ou pequena mentira é questão de opinião.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s